terça-feira, novembro 29, 2011


E hoje eu tô com uma vontade de viver que ninguém tira!

"Hoje eu vou pintar as nuvens do jeito que eu quiser. Se eu decidir que quero o mundo divertido ele vai ser. Basta eu querer. A gente enxerga lá fora o que está dentro da gente. E hoje eu tô com uma vontade de viver que ninguém tira! Eu vou pintar as nuvens, fazer bigodes em modelos de outdoor, vou sair voando por aí como uma abelha, procurando só o que for doce." 

2

segunda-feira, novembro 28, 2011


Porque é isso que nos importa, não é? O sorriso um do outro. Não é?"

"Não se concentre tanto nas minhas variações de humor, apenas insista em mim. Se eu calar, me encha de palavras, me faça querer dizer outra e outra vez sobre você, sobre nós, e todo esse amor. Se eu chorar, não me faça muitas perguntas, não precisa nem secar minhas lágrimas. Só me diz que você continuará comigo pra tudo, que tenho teu colo e teu carinho. E ainda que te doa me ver assim, me envolva nos teus braços e diga que eu posso chorar, mas que você não sairá dali enquanto eu não sorrir. Porque é isso que nos importa, não é? O sorriso um do outro. Não é?"


2

sexta-feira, novembro 25, 2011


E Amo Sempre e Tanto.

"Dentro de mim, existe um Espaço Sagrado onde guardo minhas preciosidades. Às vezes faço uma faxina lá e mudo tudo de lugar. Não é por maldade, é só vontade de ver um outro ângulo das coisas. Eu não gosto do olhar acostumado.Não gosto de ver um objeto num objeto, porque tudo pra mim tem entidade humana. E gente me tira o fôlego, vejo belezas demais quando amo, e amo sempre e tanto."


4

terça-feira, novembro 22, 2011


Me Ofereço Inteira

“Eu podia te contar muitas mentiras, mas não quero. Não sou nada racional. E, olha, não sei ser objetiva. Enrolo uma vida para falar uma coisa simples. Dou um montão de voltas até chegar no ponto principal. Sempre me perco. Sempre me bato nas coisas, por isso vivo roxa. Ligo sem nenhum motivo aparente, só por ligar, só pra não dizer nada. Sinto raiva. E na hora da raiva falo coisas que nem acredito depois. Fico cega, cegueta mesmo. E depois me arrependo, peço desculpa, tento engolir o que falei (…) Fico descontrolada. E com medo de mim. Furo em festas. Digo que vou, marco hora e não apareço. Não gosto de atender telefone (…) E às vezes eu me escondo das pessoas. Explico: tem dias que vou almoçar no shopping e vejo um conhecido, então eu finjo que não vi o conhecido, entende? Nada pessoal, é que de vez em quando não tô a fim daquele papo de tudo-bem-como-vai-blá-blá-blá (…) Não gosto que gente que mal conheço encoste em mim. E odeio quando tô de blusinha sem manga e sinto o cabelo de alguém encostando no meu braço. Não faço xixi em banheiro público. E tenho mania com lugares. Algumas casas têm uma energia estranha, então nem volto. Não é em todo lugar que me sinto bem. Não sei receber críticas e sou a minha maior crítica. Já deixei de ir em eventos porque estava chovendo (…) Não gosto de ficar em cima do muro, por isso tomo partido, tomo decisão. Minhas opiniões são fortes, assim como meu gênio. Tem vezes que sei ser bem ranzinza, principalmente se estou com alguma coisa entalada na garganta ou de saco cheio de alguma situação. Quando algo me desagrada fecho a cara. Ou fico muda (…) Já fui filhinha da mamãe e hoje vejo como eu fui babaca e joguei pela janela oportunidades únicas só porque elas eram desconfortáveis (…) Dizer que sou uma pessoa bem agradável, amorosa, gentil, bonita e fina. Também podia te contar todas as coisas legais e incríveis que faço diariamente. Eu sou essa mesmo: sem máscara, sem arma, sem retoque, sem nada. Tenho incontáveis defeitos, mas me ofereço inteira: com minhas partes estragadas e boas. Se quiser vem logo pra cá.” 

1

segunda-feira, novembro 21, 2011


Amor e Raiva é tudo Igual

Ninguém faz amor só com amor. É preciso ter certa raiva de precisar tanto daquele cheiro para ser feliz. É preciso um odiozinho no coração, porque quando o desgraçado sorri, o mundo inteiro fala mais baixinho para não atrapalhar a cena principal. 

4

domingo, novembro 20, 2011


Sim, Passou!

Eu sofri. Meu Deus, como eu sofri com amores errados, ilusões, migalhas, coisas que achava que eram e nunca foram, paixonites enlouquecidas, vontades desesperadas. Eu posso dizer para você com todas as letras do alfabeto eu-sofri-muito. E sim, passou.


1

quinta-feira, novembro 17, 2011


Possibilidade de Recomeço.

Ir por um lado é necessariamente deixar de ir pelo outro. Cada escolha é uma possibilidade de recomeço, mas é também o abandono de outra possibilidade de recomeço. E isso não pode ser nunca motivo de tristeza... São escolhas. Porque se a gente se enche de sentimento bom, não importa muito o que a sorte coloque em nosso caminho. Cedo ou tarde, a alegria que a gente sente nos conduzirá na direção do que era pra ser nosso "destino"..‘ 

2

quarta-feira, novembro 16, 2011


A Criança Que Me Habita

"A vida pode ser mais leve. Mais lúdica. Se eu não brincasse, enlouqueceria. Não posso nem sei ser essa imagem que tanta gente congelou a respeito do que é ser adulto. Passo longe desse freezer. Quero o calor da vida. Quero o sonho e a realidade melhor que ele puder gerar. Quero alguma inocência que não seja maculada. Quero descobrir coisas que não suspeito existirem e, que para minha surpresa, têm significado para o meu coração. Adulta, quero caminhar de mãos dadas, vida afora, com a criança que me habita: curiosa, arteira, espontânea." 

2

segunda-feira, novembro 07, 2011


Chega!

“Coragem, menina, porque fácil não é. Pise firme e olha pra frente. Não se iluda achando que no caminho só terão flores. Até nelas tem espinhos. Vá em frente, levanta a cabeça. Cuidado com as pedras, com as pequenas principalmente. Seu sonho não é de graça, paga o preço! No final você vai perceber que tudo valeu a pena. Não pára, não descansa. Eu sei, não é competição, mas você precisa ser a melhor. Aprenda. Chega de ficar para trás em tudo, menina, chega.”

0

sábado, novembro 05, 2011


Cansei de gritar e resolvi latir

Como é horrível ser um animal. Um animal menininha. Usar vestidos, fazer as unhas, pintar os lábios, andar pisando leve. Por dentro, esse animal com fome, desesperado, selvagem, irracional.

Que bom dia que nada, cara. Que boa noite, que muito obrigada. Por que você não vem me amansar? Rasga o vestido da menininha, rasga.

Mata essa fome que eu estou de engolir seu ego, de te deixar perdido, de acabar com essa sua panca, essa sua distância.

Que se dane o esmalte falso das minhas unhas, eu que já guardei restos de células mortas da sua pele. Tira essa cor inventada da minha boca, esse tom estúpido de flor artificial. Faça ela ficar cheia de sangue vivo, entreaberta entre um grito e um riso. Tira esse meu andar leve e ereto, me entorta, me coloca do jeito que você gosta.

Que bom dia que nada, eu vou latir no seu ouvido se você achar que tem o poder de me magoar. Para que ferir meu coração se você pode ferir o meu útero? Para que dominar minha cabeça se você pode dominar o mundo pequeno e errado que eu inventei?

Eu que me faço de bem resolvida, por dentro são palpitações, são vozes de incentivo ao ataque, é calcinha de moça marcada por tanto desejo. Eu que um dia vou ter que ser mãe, que um dia vou ter que aprender a escrever. Eu que preciso ser levada a sério, preciso perceber que sou sozinha, preciso cuidar de mim. Eu que agora me atraso mais um pouco, sendo apenas instintiva.

Olhando você e só querendo correr de quatro até sua canela e morder toda a lógica dessa frieza. Querendo te enfiar dentro de mim para preencher o vazio de ser incompleta.  Para sempre a vida me deve, e eu devo tanto a ela. Querendo calar as batidas do meu coração ansioso com nosso atrito desesperado por minutos de paz.

Para sempre o silêncio, de quem não pode pedir, mas morre de desejo, de quem acaba de conseguir, mas morre de culpa.

Olhe para mim, me dá ração que eu estou morrendo. Olhe para mim, me deseje de novo porque eu estou murchando. Ou apenas venha me distrair, apenas esqueça todos esses poemas falsos. 

Esqueça todas essas justificativas sofridas para uma simples vontade de deitar com você de novo.

3

sexta-feira, novembro 04, 2011


E o nosso amor exige beijos e abraços.

Se contarmos todas as palavras que trocamos, daria para escrever um bom romance. Eu nem te conhecia e contei meus absurdos, tu nem me conhecia e contou teus muitos planos. Se contarmos todos os olhares que trocamos daria para encher um lago inteiro. Eu nem te conhecia e contei o meu passado, tu nem me conhecia e contou teu desespero. Se contarmos todos os silêncios que trocamos daria para povoar um edifício. Eu nem te conhecia e contei meus vinte anos, tu nem me conhecia e contou teus sacrifícios. Se contarmos todas as fantasias que trocamos daria pra dizer que amantes fomos. E o nosso amor exige beijos e abraços.

3

quinta-feira, novembro 03, 2011


Prossegue em Mim

“Não voltaria no tempo para consertar meus erros, não voltaria para a inocência que eu tinha - e tenho ainda. Terei saudades da ingenuidade que nunca perdi? Não tenho saudades nem de um minuto atrás. Tudo o que eu fui prossegue em mim.”


4

quarta-feira, novembro 02, 2011


Entre Medos.

"Eu não tenho idéia porque a gente fica adiando as coisas, mas se eu tivesse que chutar, diria que tem muito a ver com o medo. Medo do fracasso. Medo da dor. Medo da rejeição. Seja lá do que a gente tenha medo, uma coisa é sempre verdade: com o tempo, a dor de não ter tomado uma atitude fica pior do que o medo de agir." 


3

terça-feira, novembro 01, 2011


O Amor é Um Encontro.

''Amor é realidade, dia a dia, dificuldade. Amar é vencer uma batalha todo santo dia. Porque não é fácil conviver com alguém. Não é fácil dizer olha, te entrego meu coração, meu sentimento, minha emoção. Olha, cuida bem de mim. Cuida do que eu sinto. A gente tem que baixar a guarda, engolir o orgulho, se deixar levar. Se perder para se encontrar. O amor é um encontro. De você com você mesmo. Amar é se ver nos olhos do outro. Mesmo que ele esteja com os olhos fechados.'' #3anos,4Meses!()

5