sábado, abril 21, 2012


O amor é poá.


"O amor é poá. Cada bolinha é uma palavra: convivência, companheirismo, afeto, delicadeza, respeito, paciência, admiração, carinho, tesão, intimidade, amizade, lealdade, sinceridade, fidelidade, e por aí vai. O amor é uma eterna tentativa. É a busca por mais uma bolinha. É querer preencher os espaços, o vazio, o fundo de uma só cor. O amor é poá. E a gente completa ele do jeito que quiser. Lá na frente o destino aparece e nos explica tudo. Sigo com meu coração entre os dedos e alguma solidão embaixo do braço. A saudade é bonita só na poesia. Na vida real ela anda. Depois de tanto amanhecer na sarjeta, finalmente entendi: meu coração é vagabundo. Não sei me dar pela metade ou por partes: eu transbordo. Eu gosto de palavras claras e sentimentos puros. No fim, é aquela velha história: é você e seu coração."

1

quarta-feira, abril 04, 2012


Eu sempre sei.

A gente nunca foi de falar sobre sentimentos. Não sei se aprendi a ser discreta ou se a sua frieza me contagia. Só que eu sinto mil coisas ao mesmo tempo, coisas que eu nem sei traduzir em palavras. E sei que você sente também. Só não sei o que, nem o quanto... Sei que mesmo a gente não tendo um compromisso oficializado a gente tem sim um compromisso. A gente se respeita, se considera, a gente é sim um casal. Um casal lindo. Quando eu to contigo eu sou tão sua e te sinto tão meu. Não que eu também não seja sua quando eu to sozinha ou com outros... Até hoje eu não sei se o nosso grande problema é o seu apego idiota a sua liberdade, ou a minha bipolaridade maldita, que na nossa história, de alguma forma é abafada por essa sua escolha de ter a mim e o mundo, sem abrir mão de nenhum dos dois. Também não sei se o que me prende tanto a você é justamente essa impossibilidade de sermos, finalmente, nós. Mas alguma coisa me prende, e me prende demais. Você é assim, frio, desapegado, mulherengo; eu diria que você é um típico homem, por isso não te culpo. Afinal, também sou uma típica mulher, tão complicada e intensa e bipolar e mil coisas em uma só.E ninguém entende a minha persistência na nossa história. Minhas amigas quase me matam todas as vezes que eu quase termino contigo e desisto, porque eu sem você também sou quase. Quase completa, quase feliz, quase mulher. Mas ninguém enxerga o brilho nos seus olhos quando a gente tá a sós e se curtindo, ninguém sente seu coração pulsando quando a gente se abraça forte, nem sente como somos quase um só quando a gente se beija e se ama, como o seu corpo transmite um calor que meu corpo nunca havia conhecido e como o meu reage a tudo isso. NINGUÉM conhece a nossa magia, a pureza do nosso amor... eu e você somos os únicos que podemos nos julgar ou saber o que é melhor pra gente. Eu continuo nessa bola de neve porque ninguém faz eu me sentir como eu me sinto nos nossos momentos. Se a gente não se tem sempre ou pra sempre, o importante é que a gente se tem. Nunca iria me perdoar desperdiçando tudo que a gente construiu mesmo querendo sempre não construir nada, não se envolver. A gente virou a gente sem querer, remando sempre contra a maré, e isso é tão bonito. Eu te amar por destino só completa a nossa magia. Eu já disse que te amo, algumas poucas vezes que meu orgulho permitiu, e repito sempre com a mesma intensidade pra mim mesma, quando penso em desistir. Mas quer saber ? A gente nunca precisou de palavras pra se entender, se sentir. E eu sei que você me ama também, sei além do que você diz. Eu sempre sei.

8

domingo, abril 01, 2012


#3anos, 9Meses!(♥)

''O amor mais contundente é o que não precisa ser visto para existir. E continuará sendo feito apesar de não ser reparado.

O amor real é secreto. É conservar um pouco de amor platônico dentro do amor correspondido. É reservar as gavetas do armário mais acessíveis para as roupas dela, é deixar que sua mulher tome a última fatia da pizza que você mais gosta, é separar as roupas de noite para não acordá-la de manhã. E nunca falar que isso aconteceu. E não jogar na cara qualquer ação. E não se vangloriar das próprias delicadezas.

Buscá-la no trabalho é o equivalente a oferecer um par de brilhantes. Esperá-la com comida pronta é o equivalente a acolhê-la com um buquê de rosas vermelhas.

São demonstrações sutis, que não dá para contar para os outros, mas que contam muito na hora de acordar para enfrentar a vida.''  #3anos, 9Meses!()
0