quarta-feira, novembro 16, 2011


A Criança Que Me Habita

"A vida pode ser mais leve. Mais lúdica. Se eu não brincasse, enlouqueceria. Não posso nem sei ser essa imagem que tanta gente congelou a respeito do que é ser adulto. Passo longe desse freezer. Quero o calor da vida. Quero o sonho e a realidade melhor que ele puder gerar. Quero alguma inocência que não seja maculada. Quero descobrir coisas que não suspeito existirem e, que para minha surpresa, têm significado para o meu coração. Adulta, quero caminhar de mãos dadas, vida afora, com a criança que me habita: curiosa, arteira, espontânea." 

2

2 Comentários:

Will disse...

Oi Dani,

Freud dizia que quando uma vila vira uma cidade e uma criança vira um adulto, a vila ainda continua a existir dentro da cidade e a criança dentro do adulto.
Tão bom isso...

Um abraço!

Natália disse...

Aneim como eu amo suas postagens rsrsrs.... essa não resisti tive q "roubar".

bjimm